A hora das ACervas se movimetarem

Senhores,

hoje recebi um e-mail do Ministério da Agricultura solicitando contribuições a respeito da REVISÃO DA LEGISLAÇÃO DE CERVEJAS no Brasil. Para deixar vocês a par do que está rolando a legislação pode mudar e se mudar ela tem que ser negociada junto ao Mercosul, resumindo, esta legislação será para todo o Mercosul e não somente para o nosso país.

Algumas coisas que eles já identificaram que tem que mudar é que na legislação anterior não se permite inserir substâncias de origem animal (mel, leite, etc), não permite também o uso de madeira, não permite o uso de frutas, somente seus sucos ou extratos, etc.

Esta é a hora que esperávamos. Temos que nos movimentar e apresentar todas as nossas idéias e defende-las corretamente. E nisto está ligada diretamente a ação e a representatividade das Acervas Brasileiras. Para quem não sabe existem, em cada estado brasileiro, uma associação de cervejeiros caseiros, que no estado de São Paulo se chama Acerva Paulista.

Bem, como todos nós cervejeiros caseiros usamos produtos para melhorar o aroma e sabor da nossa cerveja entendo que temos que apresentar ao MAPA as mudanças que queremos.

Nos unamos por esta causa. Esta causa é nossa.

Abraços

Afonso Landini

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

3 respostas para A hora das ACervas se movimetarem

  1. juliana diz:

    Olá, td bem?
    Gostaria de enviar uma sugestão de pauta para vcs. Qual o e-mail de contato?
    Obrigada
    Juliana
    juckto@sorttie.com.br

  2. Olá Afonso!

    Sobre a regulamentação de cervejeiro urbano caseiro, da consulta pública de janeiro, há alguma previsão de vigência do que o MAPA sugeriu?

    Já podemos encaminhar pedidos de regulamentação baseados na consulta pública?

    Abraço!

  3. Bem, o MAPA nos informou na ocasião da reunião que a regulamentação dos caseiros não seria a pauta do trabalho. Teríamos que tentar por outras maneiras pois o momento era para definir o que seria cerveja e não dar permissão ou não para sua venda.
    Entendo que teremos que tentar por uma outra alternativa e o contato com algum deputado federal disposto a abraçar a causa é a melhor alternativa.
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + dois =

  • Chat